Investidores em debandada. Visão de curto prazo?

Posted on julho 4, 2011. Filed under: Comentários diários |

Renda fixa e imóveis na mira

O Jornal O Globo de 3 de julho trouxe uma reportagem mostrando um movimento fortíssimo de saída de investidores individuais da bolsa.

Leia AQUI.

Isso, em parte, pode ser explicado pelo aumento da taxa de juros da renda fixa e pode explicar, também em parte, a continuidade da elevação dos preços dos imóveis em 2011, mesmo já vindo de 3 anos excelentes.

É simples. R$ 3,7 bilhões saíram da bolsa, é razoável esperar que tenham migrado para alternativas de investimento. As mais comuns são: Renda fixa e Imóveis.

Visão de curto prazo?

A maioria das pessoas, na vida e na bolsa, pensa de forma imediatista, vê algumas árvores à frente, mas perde a capacidade de ver a floresta como um todo.

Isso é normal, faz parte da nossa natureza. Não há do que se envergonhar, somos todos assim.

Num momento em que a bolsa está de lado (ou em queda) há 3 anos e os imóveis em alta forte há, pelo menos, 3 anos, só há uma visão vencedora: Bolsa é ruim imóvel é bom!

Lembrar que os imóveis foram os piores investimentos do país entre 1994 e 2006-2007? Nem pensar?

Lembrar que a bolsa subiu 800% em dólar entre 2003 e 2008? Sai daqui!

O longo prazo existe, apesar de pouca gente acreditar.

Falar que bolsa é para longo prazo, normalmente faz parte de um discurso vazio de alguém que quer justificar o mau momento do mercado ou que não entende do que está falando.

Pouca gente entende isso de verdade.

Pouca gente entende que, ao comprar regularmente ações de companhias em que acredita e confia, o investidor dilui o “risco bolsa” e fica com o risco da empresa. Se a empresa crescer, há grande chance de seu patrimônio crescer significativamente.

Ainda mais se utilizar o Método INI ou algum outro método fundamentalista (filtros de graham e outras técnicas de value investing) para evitar selecionar empresas com múltiplos muito altos.

Longo prazo? Que tal 200 anos em 4 minutos

Calma, não é análise técnica!

É só um estatístico sueco contando a história do desenvolvimento dos países nos últimos 200 anos, num pequeno vídeo de 4 minutos.

Veja AQUI.

O objetivo do blog, ao postar o vídeo, é mostrar DE NOVO a floresta e não só 3 ou 4 árvores.

Todos os dias alguém escreve algum post em algum fórum ou blog para denegrir a imagem dos pobres investidores de longo prazo. São tratados como tolos ou pseudo-investidores.

E sempre com inúmeros argumentos que refutam o buy-and-hold, o longo prazo e outras técnicas e conceitos de poupança em ações.

Os críticos esquecem, ou não sabem, que grande parte da previdência privada (com gestão pessoal ou terceirizada) em países desenvolvidos depende das companhias listadas em bolsa de valores.

De fundos de pensão a pequenas carteiras individuais ou de clubes de investimento, é assim que a maioria das pessoas esclarecidas no mundo desenvolvido cuida de seu complemento de aposentadoria.

É um fato evidente, não há qualquer dúvida disso, basta ver o percentual de investimentos da indústria mundial de fundos em ativos de renda variável. Chega a 80% em países como o Japão e a 48% nos EUA.

Nem precisa ir longe, a PREVI chegou a ter mais de 65% de seus ativos em renda variável. Isso significa que a aposentadoria de milhares de funcionários do Banco do Brasil, atuais e futuros, dependia e muito do conceito de buy-and-hold e do “longo prazo”. Aliás, investir conforme o método INI (de forma passiva) é o que fazem esse funcionários, mesmo sem saber, ao comprar mensalmente umas poucas cotas do seu fundo de pensão.

Mas ao que parece, isso não serve. Só servem aquelas 3 ou 4 árvores que estamos vendo hoje.

Voltando ao vídeo, nos 200 anos que o professor Hans Rosling ilustra no vídeo acima, o desenvolvimento econômico e social do mundo fica evidente. Também suas disparidades, é verdade, mas mesmo estas vêm sendo reduzidas ao longo dos anos.

Sabemos que o passado não garante o futuro, mas por que refutar as evidências do passado?

Quanto ao futuro, o professor é otimista. Só nos resta torcer para que esteja certo!

Aos muitos amigos grafistas, por favor entendam que o INI, como instituição, tem a etiqueta de jamais se manifestar de forma depreciativa sobre qualquer método de investimento ou comportamento. Não é nossa função.

O que ora se faz, num momento tão difícil para o investimento em renda variável, é apenas a defesa de um comportamento simples, histórico e bem sucedido há 200 anos.

Make a Comment

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

7 Respostas to “Investidores em debandada. Visão de curto prazo?”

RSS Feed for Blog do INI Comments RSS Feed

Reconfortante….é difícil manter posições e mesmo aumentar aproveitando os baixos preços quando o mercado continua caindo…mais ainda quando vc tem uma certa idade e seu longo prazo não deve ser tão longo assim….

Caro José,
Não é fácil mesmo. Quando o horizonte é curto (menos que 5 anos) é ainda mais difícil.
No livro “Quanto Custa Ficar Rico” construímos um modelo de riqueza que ajuda a definir o portfolio de “acumulação” e o patrimônio de “aposentadoria”. São bem diferentes, mas ambos podem ser favorecidos pelo investimento em bolsa.
Se tiver oportunidade, leia o modelo. Ele indica com precisão seu percentual de “riqueza”. Lembrando que riqueza não é patrimônio nem renda, mas yield.

Entendo que qualquer argumentação deve ser respeitosa e racionalmente sustentada.
Defendo que as situações podem gerar oportunidades para aprofundar os estudos sobre: balanceamento de carteiras; análise de risco baseada na estruturação da dívida e na alavancagem financeira; e seleção de ativos com objetivos diversos (prazos e objetivos).

Sim Fabiano,
É importante abrir espaço para debater métodos auxiliares de gestão de patrimônio pessoal.
No livro “O Mercado de Ações em 25 Episódios” tratamos com profundidade a questão do balanceamento de carteira. Neste mesmo blog há uma “adendo” ao livro, onde colocamos os percentuais de balanceamento no caso de a divisão entre Renda Fixa e Renda Variável ser diferente de 50%-50%.

Olá, por falar em longo prazo meu pai comprou a 42 anos ações da antiga Light atual Eletropaulo, e fomos informados pelo Bradesco que valem apenas R$ 100,00. Como posso fazer a atualização para determir o valor real ? Grato, Reynaldo

Oi Reynaldo,
Não conheço o histórico da Eletropaulo antes da privatização, mas não seria surpreendente se os balanços fossem bem ruins. Era uma estatal federal, depois estadual.
Infelizmente empresas com resultados ruins acabam não gerando retorno ao acionista.
Para ver o histórico da Light Eletropaulo acesse o link: http://pt.wikipedia.org/wiki/Eletropaulo
A melhor fonte para lhe explicar o que houve com as ações é o próprio banco custodiante.

ótimo artigo!
O longo prazo não apenas existe como chega para todos nós! Os que tiverem disciplina e consciência para investir gozarão de uma aposentadoria digna e confortável.


Where's The Comment Form?

  • Blog do INI

  • julho 2011
    S T Q Q S S D
    « jun   ago »
     123
    45678910
    11121314151617
    18192021222324
    25262728293031

Liked it here?
Why not try sites on the blogroll...

%d blogueiros gostam disto: